5

Valor do patrocínio nas camisolas dos clubes ingleses em alta!

31 agosto, 2013


No futebol em Inglaterra gastou-se como nunca em jogadores 765,6 milhões de euros, mas por outro lado o valor dos patrocínios das camisolas dos seus clubes subiu consideravelmente. O valor agregado dos patrocínios das camisolas dos 20 clubes da Liga Inglesa (Premier League) voltou a subir. Em 2013/2014, os 21 sponsors principais (o Tottenham Hotspur tem dois patrocinadores) pagarão um total de 197 milhões de euros aos clubes.

Este aumento de quase +13% relativamente à época 2012/2013 demonstra a vitalidade da Premier League, mesmo em período de recessão ou estagnação económica. A liga inglesa continua a ser vista como uma plataforma privilegiada para a promoção das marcas.

Três clubes (Sunderland, Newcastle e Aston Villa) têm presentemente contratos que são menos lucrativos do que os da última temporada. A maior parte dos restantes clubes, no entanto, aumentou as receitas de patrocínio das camisolas. Os novos contratos de Stoke (Bet365) e West Ham (Alpari), por exemplo, envolvem mais ou menos o dobro dos montantes recebidos no ano passado.

Os principais clubes de Londres, porém, foram os grandes motores do aumento das receitas globais. O novo acordo Chelsea/Samsung passou a envolver 21,4 milhões de euros anuais – um aumento de mais de 30% relativamente a 2012/2013. Apesar das críticas dos adeptos, o Tottenham continua a ter dois patrocinadores de camisolas: a marca de produtos de informática HP (nos jogos da Liga Inglesa) e a seguradora asiática AIA (nos jogos das taças nacionais e competições europeias). Estes dois sponsors garantem uma receita anual de quase 23 milhões de euros ao clube de André Villas-Boas. O Arsenal, por fim, foi o clube que registou o aumento mais significativo. Na sequência da renovação do contrato de “sponsorship” e “naming” com a Emirates, assinado em novembro, o valor do patrocínio das camisolas passou dos 5,5 milhões de euros 2012/2013 para os actuais 36 milhões de euros desembolsados pela transportadora aérea dos Emirados Árabes Unidos.

Tal como acontecia no ano passado, as operadoras de apostas desportivas online, serviços financeiros e seguros continuam a constituir a fatia mais importante do investimento publicitário nas camisolas de equipas da Barclays Premier League. O valor agregado dos patrocínios deverá registar, aliás, nova subida significativa já em 2014/2015. No próximo ano, recorde-se, entra em vigor o contrato milionário acordado entre Manchester United e a Chevrolet. O contrato, de sete anos, envolve 425 milhões de euros – ou seja, uma bela quantia de 61 milhões de euros por ano.

Os contratos de patrocínio de camisolas na Liga Inglesa de futebol 2013/2014

Arsenal: Fly Emirates - Transp. aéreos - 35,6 milhões de euros
2ª Manchester United: Aon - Seguros - 23,7 milhões de euros
3ª Liverpool: Standard Chartered - Banca - 23,7 milhões de euros
Manchester City: Etihad - Transp. aéreos - 23,7
Tottenham: HP (Hewlett-Packard) - Tecnologia - 15,5 milhões de euros; AIA - Seguros 7,1 milhões de euros = total: 22,6 milhões de euros
Chelsea: Samsung - Tecnologia - 21,4 milhões de euros
Newcastle: Wonga - Serv. financeiros - 7,1 milhões de euros
Aston Villa: Dafabet.com - Apostas desportivas online - 5,9 milhões de euros
Fulham: Marathonbet - Apostas desportivas online - 5,9 milhões de euros
10ª Sunderland: Bidvest - Distrib. alimentar - 5,9 milhões de euros
11ª Everton: Chang Beer - Cerveja - 4,7 milhões de euros
12ª Stoke City: Bet365 - Apostas desportivas online - 3,6 milhões de euros
13ª West Ham United: Alpari - Serv. financeiros - 3,6 milhões de euros
14ª Swansea: GWFX (Goldenway Global Investments) - Serv. financeiros - 2,4 milhões de euros
15ª West Brom: Zoopla - Info. imobilliária - 1,8 milhões de euros
16ª Norwich City: Aviva - Seguros - 1,2 milhões de euros
17ª Southampton: Aap3 - Tecnologia inf. - 1,2 milhões de euros
18ª Hull City: Cash Converters - Artigos 2ª mão - 1,2 milhões de euros
19ª Crystal Palace: GAC Transportes - fretes - 900 mil euros
20ª Cardiff City: Malaysia - Turismo nacional - 600 mil euros

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

1

Benfica de 60 imortal no Top dos melhores clubes de sempre

30 agosto, 2013


A Revista inglesa “FourFourTwo” escolheu as 20 mais importantes equipas de sempre e, entre elas, aparece o Benfica de Eusébio, Mário Coluna, Costa Pereira, José Águas...

A equipa do Benfica da década de 1960 é a única portuguesa a integrar o top 20 das melhores equipas (de clubes) da história do futebol publicado na última edição da revista britânica “FourFourTwo”. “O irrequieto génio húngaro Béla Guttmann tinha uma filosofia muito simples no que diz respeito à criação de uma equipa de futebol: a equipa, dizia ele, tinha de valer o dinheiro que os adeptos pagaram por ela. Essa filosofia aplicou-se na perfeição à equipa gloriosa do Benfica liderada por Béla Guttmann. “Jogando num sistema 4-2-4 ou W-M, as águias dominaram o campeonato português e chegaram a quatro finais da Taça dos Campeões no espaço de sete anos, com vitórias em 1961 e 1962”, lê-se na análise feita pela revista.

O painel de especialistas da “FourFourTwo” colocou esta “equipa lendária” do Benfica no oitavo lugar do ranking das melhores equipas de sempre, à frente de outros históricos do futebol europeu como o Bayern de Munique de Beckenbauer (1967-1976), o Torino de Mazzola (1945-1949), o Manchester United de Alex Ferguson (1995-2001) ou a Juventus de Zoff, Platini e Boniek (1980-1986). “O êxito da equipa do Benfica costuma ser atribuído de forma redutora ao génio irrepetível de Eusébio, mas a verdade é que o jogador mais influente era o outro moçambicano, Mário Coluna, um mestre da estratégia, dono de um pé esquerdo explosivo e médio completíssimo que ficou conhecido como o "Monstro Sagrado”, acrescenta a revista, que também destaca a qualidade de Costa Pereira, Santana e José Águas.

Da minha parte, posso relatar um episódio da minha primeira viagem a Milão em meados dos anos 90 onde depois de um almoço convívio, os italianos, só me diziam: "Portugal, terra de grande futebol e do grande Coluna!" Eu para eles, então e o Eusébio? - Coluna era um monstro, diziam eles! Nem fazia ideia que naquela altura o nome de Mário Coluna reinava ainda tão intensamente por aquelas bandas.

Os especialistas da revista “FourFourTwo” consideraram apenas a melhor equipa de cada clube e excluíram, dessa forma, equipas como o FC Barcelona do período 1988-1994, o Real Madrid de 1984-1990, a Juventus de 1994-1998 ou o Manchester United de 1965-1968. O ranking tomou em consideração seis aspectos fundamentais: o número de títulos conquistados, a aura, o legado/influência da equipa, o nível de entretenimento, o “cool factor” (o “estilo, ‘panache’ e elegância da equipa”) e, finalmente, a presença de uma super-estrela.

O Benfica da década de 60 teve pontuação elevada em três destes segmentos: títulos, legado e super-estrela (Eusébio). A equipa do Ajax de Cruyff, Neeskens e Haan (1965-1973), eleita como a melhor da história do futebol, foi a única a registar altas pontuações em todas as seis áreas.

As melhores equipas (Clubes) de sempre do futebol mundial

Ajax - 1965/1973
AC Milan - 1987/1991
Real Madrid - 1955/1960
FC Barcelona - 2008/2011
Liverpool - 1975/1984

Inter Milão - 1962/1967
Santos - 1955/1968
Benfica - 1959/1968
Bayern Munique - 1967/1976
10ª Torino - 1945/1949

11ª Celtic - 1965/1974
12ª Manchester United - 1995/2001
13ª Independiente - 1971/1975
14ª Juventus - 1980/1986
15ª Dínamo Kiev - 1985/1987

16ª Boca Juniors - 1998/2003
17ª Preston North End - 1888/1889
18ª Borússia Mönchengladbach - 1970/1979
19ª Budapeste Honved - 1950/1955
20ª Nottingham Forest - 1977/1980

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

3

Mercado de Transferências 2013-2014

29 agosto, 2013


Com o encerramento do mercado nas principais ligas europeias e num primeiro balanço o título de campeão do mercado de transferências vai direitinho para um cliente habitual: o Real Madrid. Sem que merengues e Tottenham tenham revelado o montante da transferência de Bale, tudo indica que a mesma tenha atingido os 100 milhões de euros, perante a insistência dos media ingleses. Valor que não só torna o galês no jogador mais caro da história – ultrapassa os 94 milhões de euros pagos por Cristiano Ronaldo –, mas possibilita ao Real a ultrapassagem in-extremis ao Mónaco, onde chegaram James Rodríguez, João Moutinho e Falcao, só para citar os mais caros. Com uma “ponta final” em que garantiu o defesa Chiriches, o médio Eriksen e atacante Lamela, o Tottenham de André Villas-Boas deixou para trás Manchester City e Paris SG e atingiu o pódio dos mais gastadores no mercado de verão.

10 clubes que mais investiram em contratações 2013/2014

Real Madrid - 171,5 milhões de euros
AS Monaco - 166,2 milhões de euros
Tottenham Hotspur - 121,8 milhões de euros
Manchester City - 116 milhões de euros
Paris SG - 110,9 milhões de euros

Nápoles - 85,4 milhões de euros
Chelsea - 77,8 milhões de euros
Dínamo de Moscovo - 67,9 milhões de euros
Shakhtar Donetsk - 67 milhões de euros
10ª FC Barcelona - 57 milhões de euros

10 mais caras contratações do mercado de transferências 2013/2014

Gareth Bale do Tottenham para Real Madrid - 100 milhões de euros
Edinson Cavani do Nápoles para Paris SG - 64,5 milhões de euros
Radamel Falcao do Atlético para Mónaco - 60 milhões de euros
Neymar do Santos para FC Barcelona - 57 milhões de euros
Mesut Özil do Real Madrid para Arsenal - 50 milhões de euros

James Rodríguez do FC Porto para Mónaco - 45 milhões de euros
Fernandinho do Shakhtar Donetsk para Manchester City - 40 milhões de euros
Willian do Anzhi Makhachkala para Chelsea 38 milhões de euros
Mario Götze do Borussia Dortmund para Bayern Munique - 37 milhões de euros
10ª Gonzalo Higuaín do Real Madrid para Nápoles - 37 milhões de euros

As ligas de futebol europeias mais gastadoras 2013/2014

Premier League (Inglaterra) - 765,6 milhões de euros
Serie A (Itália) - 410,1 milhões de euros
La Liga (Espanha) - 400 milhões de euros
Ligue 1 (França) - 378,9 milhões de euros
Premier Liga (Rússia) - 272,4 milhões de euros

Bundesliga (Alemanha) - 263,3 milhões de euros
Premier Liga (Ucrânia) - 133,1 milhões de euros
Super Lig (Turquia) - 83,6 milhões de euros
Primeira Liga (Portugal) - 72 milhões de euros
10ª Championship (Inglaterra) - 41,3 milhões de euros

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

4

Apostava que Ozil iria para o Arsenal!

28 agosto, 2013


Ainda não há muito tempo abordei a temática da integridade e códigos de conduta sobre apostas desportivas para o futebol, e nomeadamente o inglês, e curiosamente foi desse mesmo país que chegou uma escandalosa história envolvendo um treinador de formação do Arsenal (Mark Arber) que obviamente conhecedor da chegada de Ozil para o clube resolveu antecipar-se e apostar nessa mesma previsão e vangloriar-se à grande nas redes sociais. Além de ter demostrado um comportamento ético nada recomendável ainda teve a inteligência saloia de contar o feito.

O Arsenal iniciou uma investigação a um dos seus treinadores da formação, de seu nome Mark Arber, por uma eventual quebra das rígidas regras da Federação Inglesa (FA) quanto a fazer apostas em assuntos com os quais se está directa ou indiretamente ligado. Este caso que envolve Arber ilustra bem a crescente influência das redes sociais no quotidiano, depois de o técnico da Academia dos gunners ter escrito na conta pessoal do Twitter algo como “Belo pedaço de 14-1 Mesut”, fanfarrice que desde logo levantou suspeitas de ter-se tratado de uma aposta na chegada do alemão ao clube onde Arber é funcionário.

Ora, as regras da FA são claras em relação a apostas, impedindo não só as que se relacionam com o próprio clube mas também com todos os outros envolvidos na mesma competição.

A reacção da instituição não se fez esperar, com um porta-voz do emblema londrino a apressar-se a declarar, citado pela “Sky sports”, que “todos os funcionários estão conscientes das suas responsabilidades a este respeito e estamos a tratar do caso com urgência”.

Este caso é em tudo idêntico ao sucedido com Robert Heys, director do modesto Accrington Stanley da Football League Two, que acabou punido pela Federação Inglesa com 21 meses de suspensão e pagamento de perto de 1200 euros após ter escrito no Twitter sobre ter apostado na Carling Cup envolvendo o clube. Durante a audiência, Robert Heys admitiu ter infringido mais de 735 regras da FA bem como ter feito mais de 200 apostas a envolver o Accrington Stanley.

O internacional alemão Mesut Ozil trocou o Real Madrid pelo Arsenal neste mercado de verão, naquela que pode ser descrita como uma loucura para os padrões do clube londrino: a transferência do médio custou 50 milhões de euros, batendo largamente o anterior recorde interno – 20 milhões por José Antonio Reyes , há dez anos.

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

2

Jogo Online: Os valores do mercado regulado francês, Italiano e espanhol

27 agosto, 2013


Dentro da dominada Europa latina, França, Itália e Espanha possuem mercados devidamente regulados para a indústria de jogo e apostas desportivas online, processo legislativo que Portugal optou auto-excluir-se (ou congelar) apesar das constantes promessas governamentais para actualizar a lei e acompanhar as novas tecnologias.

Noutra dimensão, já bem mais elaborada e avançada, a autoridade reguladora francesa de jogo online - ARJEL publicou um estudo comparativo que integra os países de França, Itália e Espanha com os resultados sobre os seus volumes de vendas (produto bruto de jogos - PBJ) relativos ao último ano de 2012 onde estão incluído os operadores certificados e monopólios locais online. Ficámos a saber que realisticamente França gerou receitas de 798 milhões de euros, Itália 749 milhões de euros e Espanha 117 milhões de euros, este último apenas em cerca de meio já que foi em meados de 2012 que abriu o seu novo mercado.

Desde 2011, que os reguladores de diferentes mercados europeus de jogos de azar mercados europeus têm realizado vários acordos bilaterais, a fim de compartilhar informações e promover as melhores práticas em matérias relacionadas com a regulamentação do jogo online. A última reunião, por sinal, foi em Lisboa. Veremos mais para a frente se isto é um sinal para acelerar medidas por cá através das experiências destes três mercados.

Mas para além dos números apresentados, é muito interessante analisar que os três mercados latinos têm as suas próprias características: o mercado francês de jogo é caracterizado pelo importante volume de negócios relacionado com apostas hípicas (cavalos) - o que representa um terço do total das receitas brutas, enquanto que no mercado espanhol continua a incidir nas apostas desportivas e actividades de poker, e em Itália é o segmento de jogos de casino a dominar a procura.

Comparação do volume de negócios do mercado francês, italiano e espanhol

Dados controlados e publicados através dos balanços financeiros de 2012 da AAMS (Agenzia delle Dogane e dei Monopoli) e da DGOJ (Dirección General de Ordenación del Juego).

O órgão regulador de jogo italiano (AAMS) publicou o seu relatório de 2012 a 22 de janeiro. Neste contexto, considerou-se necessário fazer uma comparação dos elementos do balanço com os resultados obtidos no mercado francês de jogos de azar online em 2012. O regulador espanhol (DGOJ) apresentou também o seu relatório de 2012 a 5 de julho de 2013. Esses dados fornecem informações das apostas e do produto bruto dos jogos registados desde a abertura do mercado espanhol em junho de 2012.

As comparações apresentadas de seguida são baseadas no volume de negócios (receitas brutas do jogo) de cada segmento autorizado em França, Itália ou Espanha.



Evolução por segmentos de jogo 2011-2012

Operadores franceses e italianos em 2012

À luz da evolução dos montantes com as receitas brutas estabelecidas para cada segmento entre 2011 e 2012, observa-se que, se o volume de negócios global das operadoras se manteve estável de um ano para o outro, em França como na Itália existiram mudanças significativas nos diversos segmentos de jogo.

Em 2012, o mercado francês registou um forte crescimento no segmento de apostas desportivas em virtude do grande número de grandes competições internacionais (europeu de futebol e Jogos Olímpicos) contrastando com o menor resultado obtido em 2011. As actividades relacionadas com torneios de poker permanecem dinamizados sobretudo pelos esforços comerciais dos operadores neste segmento, embora o jogo a dinheiro confira uma descida significativa de produto bruto de jogo.

Pelo contrário, no mercado italiano os novos jogos autorizados em meados de 2011, especialmente o segmento de casino conseguiu provavelmente uma posição dominante na quota de mercado em relação a outros jogos licenciados por vários anos, tais como apostas desportivas, torneios de poker, e em menor medida, os sorteios e raspadinhas.

Comparação de mercados de jogo online abertos à concorrência

Operadores franceses e espanhóis em 2012

A abertura do mercado de jogo online em Espanha teve lugar em junho de 2012. Portanto, é impossível fazer uma comparação com o ano de 2011.

A seguinte tabela (representada na foto) mostra uma comparação entre o mercado francês e espanhol, em termos de apostas, as receitas brutas de jogo e a taxa de retorno dos jogadores nos segmentos abertos à concorrência em França, isto é, apostas desportivas, apostas hípicas e poker online.


Uma comparação destes dados, permite-nos constatar que a taxa de retorno dos consumidores de apostas desportivas e hípicas online em Espanha são mais altos respectivamente - 95% e 92% frente a 80% e a 77% em França durante o ano de 2012. Finalmente, as apostas desportivas online espanholas totalizaram pouco mais de 1000 milhões de euros em sete meses, em comparação com os 705 milhões de euros registadas em França durante 1 ano.

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

1

Liga Europa: Sorteio e calendário 2013-2014

23 agosto, 2013


Se o FC Porto e o Benfica se podem gabar da sorte os ter “protegido” no sorteio da fase de grupos da Champions já o mesmo não podem dizer Paços de Ferreira, Estoril e Vitória de Guimarães na Liga Europa 2013/2014. As “bolas” tiradas por Ricardo Carvalho e Ciro Ferrara não foram nada simpáticas para o trio português, que terá vida muito complicada na luta pela qualificação para os 16 avos de final. Tudo porque pela frente terão equipas à partida candidatas ao triunfo. Fiorentina, Sevilha e Lyon por exemplo, são os cabeças de série que calharam aos pacenses, estorilistas e vimaranenses. Aliás, os minhotos bem podem reclamar o “prémio dos mais azarados”, pois além da equipa francesa – mais habituada a andar pela Champions – terão ainda de medir forças com os espanhóis do Bétis. À partida, Lyon e andaluzes lutarão pelos dois primeiros lugares, precisamente aqueles que dão a qualificação para a fase seguinte. Como se isso não bastasse, os croatas do Rijeka provaram ser um osso duro de roer ao afastar o Estugarda.

Já o Paços de Ferreira e Estoril foram um “pouco menos azarados” nos nomes dos adversários, mas também eles terão de apostar em surpreender. No caso dos castores, além da Fiorentina, terão pela frente Dnipro (de Bruno Gama) e o Pandurii, carrasco do Braga. Já os canarinhos, além do Sevilha, tem pela frente os alemães do Friburgo (equipa que empatou 1-1 com o campeão europeu Bayern Munique, já esta época na liga alemã) e ainda os checos do Slovan Liberec, que afastaram da prova os italianos da Udinese por 4-2, no total dos dois jogos.

Realce ainda para o facto de o Tottenham ter todas as possibilidades de conseguir o primeiro lugar do grupo K. Os russos do Anzhi (já vendeu as estrelas), os moldavos do Sheriff e os noruegueses do Tromso são, à partida, adversários bem acessíveis para a equipa de André Villas-Boas.


Grupo E (Paços de Ferreira)

Os pacenses começam e acabam a prova fora. Num grupo em que os favoritos a passar à fase seguinte são a Fiorentina e o Dnipro, Paços de Ferreira e Pandurii correrão por fora, tendo em mente um apuramento histórico para a fase a eliminar. O facto de os castores receberem primeiro o Pandurii e o Dnipro, onde actua o português Bruno Gama, pode acalentar alguma esperança na passagem aos dezasseis avos de final da Liga Europa. Depois de eliminar o Sporting de Braga, Mingote, guarda-redes português do Pandurii, está de regresso ao seu país.

1ª Jornada 19/09/2013
Fiorentina - Paços de Ferreira
Pandurii - Dnipro

2ª Jornada 03/10/2013
Dnipro - Fiorentina
Paços de Ferreira - Pandurii

3ª Jornada 24/10/2013
Paços de Ferreira - Dnipro
Fiorentina - Pandurii

4ª Jornada 07/11/2013
Dnipro - Paços de Ferreira
Pandurii - Fiorentina

5ª Jornada 28/11/2013
Paços de Ferreira - Fiorentina
Dnipro - Pandurii

6ª Jornada 12/12/2013
Fiorentina - Dnipro
Pandurii - Paços de Ferreira

Grupo H (Estoril)

Num grupo em que Sevilha e Friburgo partem como favoritos, Estoril e Slovan Liberec têm como missão intrometer-se na decisão da passagem à fase a eliminar. A equipa da linha de Cascais fez história ao apurar-se pela primeira vez para uma prova europeia e não quer ficar por aqui. Começa em casa, com o Sevilha (com Beto, Diogo Figueiras e Daniel Carriço a regressar ao António Coimbra da Mota) e termina na condição de visitado, frente ao Liberec. Os dois jogos seguidos com o Friburgo serão decisivos nas ambições dos canarinhos.

1ª Jornada 19/09/2013
Friburgo - Slovan Liberec
Estoril - Sevilha

2ª Jornada 03/10/2013
Sevilha - Friburgo
Slovan Liberec - Estoril

3ª Jornada 24/10/2013
Slovan Liberec - Sevilha
Friburgo - Estoril

4ª Jornada 07/11/2013
Sevilha - Slovan Liberec
Estoril - Friburgo

5ª Jornada 28/11/2013
Slovan Liberec - Friburgo
Sevilha - Estoril

6ª Jornada 12/12/2013
Friburgo - Sevilha
Estoril - Slovan Liberec

Grupo I (Vitória de Guimarães)

O Vitória de Guimarães regressa às provas da UEFA em casa, frente ao Rijeka e termina com o mesmo, na Hungria. Pelo meio, deslocações curtas, a Espanha e França, onde contarão com um forte apoio dos emigrantes portugueses. Pelo clube de Lyon atuam os portugueses Anthony Lopes, guarda-redes internacional pelos sub-21 de Portugal e Miguel Lopes, o defesa lateral-direito, ex-Porto, Braga e Sporting. Caso o Vitória consiga levar de vencida a equipa húngara em ambos os jogos e pontuar nos duelos com o Bétis, tem tudo para sonhar.

1ª Jornada 19/09/2013
Bétis - Lyon
Vitória de Guimarães - Rijeka

2ª Jornada 03/10/2013
Rijeka - Bétis
Lyon - Vitória de Guimarães

3ª Jornada 24/10/2013
Lyon - Rijeka
Bétis - Vitória de Guimarães

4ª Jornada 07/11/2013
Rijeka - Lyon
Vitória de Guimarães - Bétis

5ª Jornada 28/11/2013
Lyon - Bétis
Rijeka - Vitória de Guimarães

6ª Jornada 12/12/2013
Bétis - Rijeka
Vitória de Guimarães - Lyon

Grupos da Liga Europa 2013/2014

Grupo A: Valência (ESP), Swansea (ING), Kuban Krasnodar (Rus), St Gallen (SUI)

Grupo B: PSV (HOL), Dinamo Zagreb (CRO), Chornomorets Odesa (UCR), Ludogorets (BUL)

Grupo C: Standard Liège (BEL), Salzburgo (AUT), Elfsborg (SUE), Esbjerg (DIN)

Grupo D: Rubin Kazan (RUS), Wigan (ING), Maribor (ESL), Zulte Waregem (BEL)

Grupo E: Fiorentina (ITA), Dnipro (UCR), Paços de Ferreira (Por), Pandurii (ROM)

Grupo F: Bordéus (FRA), APOEL (CHI), Eintracht Frankfurt (ALE), M. Tel-Aviv (ISR)

Grupo G: Dínamo Kiev (UCR), Genk (BEL), Rapid Viena (Aus), Thun (SUI)

Grupo H: Sevilha (ESP), Freiburgo (ALE), Estoril (POR), Liberec (CZE),

Grupo I: Lyon (FRA), Betis (ESP), V. Guimarães (POR), Rijeka (CRO)

Grupo J: Lazio (ITA). Trabzonspor (TUR), Legia (POL), Apollon (CHI)

Grupo K: Tottenham (ING), Anzi (RUS), Sheriff (MOL), Tromsø (NOR)

Grupo L: AZ Alkmaar (HOL), PAOK (GRE), Maccabi Haifa (ISR), Shakhter (CAS)

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

Ler Mais
3

Liga dos Campeões: Sorteio e Calendário 2013-2014

17 agosto, 2013


A meu ver foi um bom sorteio para Porto e Benfica, cabeças de série no sorteio que evitaram a maior parte dos principais clubes europeus na Liga dos Campeões 2013-2014, mas estão longe de poderem atirar foguetes com a sorte que lhes calhou. Os dragões, apesar de terem ficado com a equipa com o ranking mais baixo de todas em prova (o Áustria de Viena), terão pela frente dois ossos bem duros de roer –Atlético de Madrid e Zenit, os grandes candidatos a discutirem com os campeões nacionais o apuramento. Do lado das águias, há uma equipa que assusta: a constelação de estrelas do Paris Saint-Germain. Depois, sobram Olympiacos e Anderlecht, campeões na Grécia e na Bélgica.

Para os mais saudosistas, o sorteio acabou por ser bom. Hulk, agora estrela no Zenit, irá, pela primeira vez em toda a carreira, defrontar o FC Porto, clube que lhe deu projeção mundial. Mas também há Cristian Rodríguez, não tão amado pelos dragões, que estará do lado do Atlético de Madrid.

Os benfiquistas também terão oportunidade de rever caras conhecidas quando defrontarem o Olympiacos. Na baliza dos campeões gregos, está um mal-amado na Luz: o guarda-redes Roberto, que passou uma temporada para esquecer de águia ao peito mas ainda dá que falar, sobretudo pelo negócio que agora o levou até ao emblema do Pireu, via Atlético de Madrid. Seguramente mais aplaudido será Saviola, o argentino que foi decisivo no último título nacional das águias.

De resto, as bolas da UEFA acabaram por não criar um verdadeiro grupo da morte, embora haja alguns que se preveem bastante interessantes, como o F, onde estão Arsenal, Marselha, Borussia Dortmund e Nápoles. Houve ainda um curioso emparelhamento italo-espanhol, com Real Madrid a juntar-se à Juventus e Barcelona ao AC Milan, e o brinde acabou por sair ao Chelsea. A equipa de José Mourinho ficou num grupo com personagens secundárias no futebol europeu: Schalke, Basileia e Steaua de Bucareste.

Grupo D (Benfica)

Os encarnados começam e acabam a prova em casa. A maior dificuldade está prevista para a segunda jornada, quando a equipa de Jorge Jesus se deslocar a Paris, onde, como é hábito, haverá muitos portugueses nas bancadas. Roberto e Saviola voltam à Luz a 23 de outubro.


PSG

Xeique do Catar dá tudo para dominar futebol na França e alcançar sonho de vencer Liga dos Campeões. Fundado em 1970 com o apoio de algumas figuras poderosas a nível financeiro de Paris, o PSG entrou numa nova era há dois anos, ao ser comprado pelo xeque do Catar Nasser Al-Khelaifi. Os petrodólares começaram a entrar sem limite nos cofres do clube fruto da ambição do novo dono em levar o PSG à vitória na Champions, tornando-o também dominador a nível interno. Nasser Al-Khelaifi investiu em três anos mais de 360 milhões de euros em contratações – Cavani chegou este ano por 64 –, e após a desilusão da época de estreia (sem qualquer título), venceu o campeonato em 2012/2013, perdendo nos quartos de final da Champions ante o Barcelona, após ter vencido o grupo com o FC Porto. Perdendo Carlo Ancelotti para o Real Madrid, e falhadas várias tentativas para encontrar sucessor, o PSG escolheu Laurent Blanc, que começou mal a liga: um triunfo em três jogos, após vencer a supertaça.


Olympiacos

Todo-poderoso na Grécia, o Olympiacos nunca conseguiu expressar a sua força a nível interno nas provas europeias. Numa época em que a final disputa-se na Luz, o campeão helénico – venceu oito títulos nos últimos dez anos –, apresenta-se reforçado por dois ex-benfiquistas. Saviola é uma das figuras, destacando-se também o muito contestado guardião Roberto, emprestado pelo Atlético de Madrid após ter sido recentemente vendido pelo Benfica (face ao incumprimento do fundo de investimento que o colocou no Saragoça), numa equipa que conta ainda com Paulo Machado e os conhecidos Salino e Contreras. O confronto com o Olympiacos, que nunca fez melhor do que chegar aos quartos, pode ter ainda como motivação para os encarnados corrigir o pesado desaire de 5-1, em Atenas, de 2008/2009, na Taça UEFA, com Quique Flores.


Anderlecht

Luís Filipe Vieira garantiu que a aposta do Benfica no mercado sérvio ia virar uma moda. Pois o Anderlecht está a seguir o exemplo das águias e optou por contratar dois jogadores sérvios para substituir as principais saídas na equipa. Biglia e Mbokani renderam 18 milhões de euros ao campeão belga, que atacou dois jovens, o médio Milivojevic e o avançado Mitrovic, que deu nas vistas no recente Europeu de sub-19. Vencedor das duas últimas edições do campeonato, o Anderlecht, com muita juventude, dá força ao crescimento do futebol da Bélgica, destacando-se duas pérolas que prometem dar que falar: o extremo Bruno e o “10” Praet. Em 2012/2013, o Anderlecht ficou-se pela fase de grupos, no último lugar, e mostrou-se até mais perigoso fora; empatou com AC Milan e Málaga, que se qualificaram, sofrendo dois desaires no seu reduto.

Calendário do Benfica Liga dos Campeões 2013-2014

1ª Jornada 17/09/2012
Benfica - Anderlecht
Olympiacos - Paris SG

2ª Jornada 02/10/2012
Paris SG - Benfica
Anderlecht - Olympiacos

3ª Jornada 23/10/2012
Anderlecht - Paris SG
Benfica - Olympiacos

4ª Jornada 05/11/2012
Paris SG - Anderlecht
Olympiacos Benfica

5ª Jornada 27/11/2012
Anderlecht - Benfica
Paris SG - Olympiacos

6ª Jornada 10/12/2012
Benfica - PSG
Olympiacos - Anderlecht

Grupo G (FC Porto)

O FC Porto irá abrir e fechar a prova fora de casa, mas o primeiro jogo será com o adversário mais acessível, o Áustria Viena. Os dragões evitam a deslocação à Rússia em dezembro, quando já há muito frio. O regresso de Hulk ao Estádio do Dragão será no dia 23 de outubro.


Atlético de Madrid

Dois títulos europeus e uma Taça do Rei resumem a transformação que Diego Simeone operou, mas o Atlético de Madrid é de boas recordações. Durante largos anos, a razia de títulos do Atlético era tão grande que até o próprio clube ironizava sobre o que levava os adeptos a não desarmar. Aliás, em dezembro de 2011, e apesar da recente conquista da Liga Europa (com Quique Flores no comando), os colchoneros estavam em 13º na Liga espanhola, facto que levou a direção a apostar numa antiga glória do clube: Diego Simeone. Como argentino, ser do Atlético voltou a ser bom. Para além do 3º lugar da época passada, que significou entrada direta na Champions, a glória chegou com a conquista da Taça do Rei, contra o Real Madrid e em pleno Santiago Bernabéu. Um título que Simeone juntou à Liga Europa de 2011/2012 (3-0 ao super Athletic Bilbao de Bielsa) e à Supertaça Europeia (4-1 ao Chelsea numa exibição de gala de Falcao). Com um plantel que não é mais forte do que muitos dos que o Atlético teve em anos recentes, Simeone montou uma equipa super competitiva, que arrancou a Liga com duas grandes vitórias (3-1 em Sevilha e 5-0 ao Rayo Vallecano) e que perdeu a Supertaça sem ter sofrido qualquer derrota frente ao Barcelona (1-1, 0-0).


Zenit São Petersburgo

O mesmo treinador, mas um plantel bastante retocado para melhor. O Zenit volta a encontrar o FC Porto na fase de grupos da Champions League, como em 2011/2012, quando venceu os dragões por 3-1 em São Petersburgo e empatou (0-0) na Invicta, apurando-se para os oitavos de final e para a eliminação aos pés do Benfica. O vice-campeão russo eliminou Nordsjaelland (6-0 no total) e Paços de Ferreira (8-3) para chegar a esta edição da Champions, onde já contará com o lateral-esquerdo Ansaldi (ex-Rubin e alvo antigo do Benfica). Aliás, o Zenit reforçou-se bem, prevendo-se que o lateral-direito Smolnikov (ex-Krasnodar) e o médio Shatov (ex-Anzhi) tenham entrada direta e que os veteranos Arshavin e Tymoschuk constituam boas alternativas a um onze onde as figuras são Hulk, Danny e o médio goleador Shirokov, que marca sempre às equipas portuguesas.


Áustria de Viena

Campeões após sete anos de jejum, os violetas anunciaram o croata Bjelica como sucessor do técnico Stöger. Manter a base do plantel campeão foi objetivo afiançado, apesar do assédio a Suttner e Hosiner, surgindo o extremo Royer, ex-Hannover, como principal reforço. Após eliminar, com sofrimento, FH e Dínamo Zagreb, o Áustria estreia-se nesta fase como equipa mais frágil de um grupo onde os pontos que conquistar poderão definir quem seguirá em frente. Organizada num 4x3x3, que parte de um 4x5x1/4x4x1x1, a formação de Viena é débil defensivamente, sobretudo nas bolas paradas e em velocidade, mas sabe explorar a rapidez, mobilidade e as diagonais dos atacantes, como também o poder de fogo do acutilante Stankovic.

Calendário do FC Porto Liga dos Campeões 2013-2014

1ª Jornada 18/09/2012
Áustria Viena - FC Porto
Atlético de Madrid - Zenit

2ª Jornada 01/10/2012
Zenit - Áustria Viena
FC Porto - Atlético de Madrid

3ª Jornada 22/10/2012
FC Porto - Zenit
Áustria Viena - Atlético de Madrid

4ª Jornada 06/11/2012
Zenit - FC Porto
Atlético de Madrid - Áustria Viena

5ª Jornada 26/11/2012
FC Porto - Áustria Viena
Zenit - Atlético de Madrid

6ª Jornada 11/12/2012
Áustria Viena - Zenit
Atlético de Madrid - FC Porto

Grupos da Liga dos Campeões 2013-2014

Grupo A:
Manchester United (ENG)
Shakhtar Donetsk (UKR)
Bayer Leverkusen (GER)
Real Sociedad (ESP)

Grupo B:
Real Madrid (ESP)
Juventus (ITA)
Galatasaray (TUR)
FC Copenhaga (DEN)

Grupo C:
SL Benfica (POR)
Paris Saint-Germain (FRA)
Olympiacos (GRE)
Anderlecht (BEL)

Grupo D:
Bayern Munique (GER)
CSKA Moscovo (RUS)
Manchester City (ENG)
Viktoria Plzen (RTC)

Grupo E:
Chelsea (ENG)
Schalke 04 (GER)
Basileia 1893 (SUI)
Steaua de Bucareste (ROU)

Grupo F:
Arsenal (ENG)
Marselha (FRA)
Borussia Dortmund (GER)
Nápoles (ITA)

Grupo G:
FC Porto (POR)
Atlético de Madrid (ESP)
Zenit (RUS)
Áustria de Viena (AUT)

Grupo H:
FC Barcelona (ESP)
AC Milan (ITA)
Ajax (NED)
Celtic (SCO)

Ranking da UEFA 2013-2014

1- Espanha 78,141
2- Inglaterra 71,177
3- Alemanha 69,927
4- Itália 55,605
5- Portugal 54,466
6- França 50,166
7- Rússia 40,332
8- Holanda 39,812
9- Ucrânia 35,466
10- Bélgica 32,700
11- Turquia 30,000

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

1

Apostas desportivas: Desastrosa regulamentação na Alemanha confirma fracasso

15 agosto, 2013


A Alemanha tem sido sempre um dos grandes objectivos estratégicos das empresas de jogo e apostas online por razões fáceis de entender - poderoso economicamente e politicamente - e que poderia servir de matriz ou "alavanca" para uma revolução da indústria a nível europeu. Quem não partilhou das mesmas ambições foram os próprios políticos locais que enveredaram por um caminho totalmente oposto protegendo os monopólios de jogo estatais e restringindo a concorrência e entrada de novos players e segmentos (apostas desportivas). Este comportamento foi denunciado e declarado inconstitucional pelo Tribunal europeu ao que os alemães trataram de modificar as suas leis, corrigindo a primeira emenda ao Tratado Interestadual (1 GlüÄndStV)(1), concluindo agora os especialistas passado um ano que a abertura restritiva vai ter um efeito totalmente fracassado. Estes ecos, confirmam as preocupações das maiores empresas europeias de jogo e da Comissão Europeia relativas à regulamentação alemã e sua aplicação.

O Tratado Interestadual de jogo alterado entrou em vigor a 1 de julho de 2012 e anunciou a reforma dos jogos de azar na Alemanha depois do Tribunal Europeu de Justiça (TJUE) considerar que a normativa alemã infringia a legislação europeia em 2010. De acordo com o Tratado, o mercado está aberto a apenas 20 fornecedores de apostas desportivas por um período de sete anos. Ao procederem desta forma, o Tratado tem por objectivo canalizar o mercado negro e a luta contra a dependência do jogo.

A Comissão Europeia foi rápida em manifestar a sua preocupação pela normativa (lei) vigente, particularmente em relação à problemática limitação de fornecedores e de não ter em conta o poker online e os jogos de casino no Tratado. A Comissão Europeia não considera que uma restrição do número total de licenças atribuídas seja o meio adequado para alcançar os objectivos estabelecidos (ver a notificação do Tratado Interestadual de Jogo 2011/0188/D). Em combinação com os estreitos limites impostos à organização de apostas desportivas, a limitação faz com que seja extremamente difícil oferecer uma segmentação atractiva de apostas desportivas online na Alemanha.

Estas preocupações da Comissão Europeia parecem agora confirmar-se: Um ano depois da entrada em vigor, a nova regulamentação sobre as apostas desportivas demonstraram ser um fracasso, e passado um ano dos sete que constam na emenda de abertura, não existe nenhum operador de apostas desportivas admitido no mercado. O procedimento escolhido pelas autoridades do estado federal para emitir as 20 licenças de apostas desportivas não cumprem com os requisitos europeus: não conseguiram oferecer aos candidatos informação clara e fiável sobre os critérios de licitação a utilizar no contexto. Isto conduziu a numerosos casos litigiosos do prestadores de serviços (empresas de apostas) e vários adiamentos de concessões de licença por parte da administração. Não está claro quando serão concedidas as licenças, e inclusivamente as autoridades aguardam por pelo menos 80 procedimentos, com a participação de candidatos não aceites (preteridos) como de titulares de licenças efectivas. Além disso, o poker online e as empresas de casino não fazem parte da abertura limitada do mercado, apesar de obstante o facto de este segmento de mercado constituir uma parte muito maior que o das apostas desportivas.

Maarten Haijer, Secretário-geral da EGBA, diz que: "Muitas perguntas sobre as apostas desportivas continuam sem resposta na Alemanha, apesar do concurso de atribuição de licenças estar em funcionamento há muitos meses. Mesmo que se a atribuição estiver correta, os resultados da regulamentação do mercado vai trazer desvantagens para todos os envolvidos, e não apenas para o sector de publicidade, provedores de apostas e autoridades, como também para o desporto amador e profissional que dependem estritamente das empresas de apostas.

A lenta atribuição de licenças demostra como é problemático o modelo de regulação escolhido pelas autoridades alemãs. A EGBA considera que as preocupações da Comissão Europeia apenas podem ter resolução se a abordagem regulatória for revista completamente ou o procedimento de concurso for iniciado de novo. Em qualquer caso, a regulação alemã é um modelo único na Europa. Em outros países europeus os operadores de apostas são admitidos no mercado sobre uma amplo catálogo de medidas criteriosas. Por outra parte, a atribuição de licenças de apostas desportivas praticado no Estado de Schleswig-Holstein desde 2011, apresenta-se um êxito e um exemplo na própria Alemanha: nesse território, as licenças apenas são concedidas aos provedores (operadores) que possam demostrar padrões e critérios elevados de cumprimento de fiabilidade, qualidade, rentabilidade e segurança. Estes procedimentos demonstraram o seu êxito na prática e não provocaram nenhum atraso ou batalhas legais como registado no resto da Alemanha.

Maarten Haijer conclui: "A Alemanha é um bom exemplo de como um compromisso político que ninguém quer rejeitar, pode criar um processo muito medíocre. Para os nossos associados que estão em actividade em toda a Europa, a abordagem alemã é incompreensível, tendo em conta as especificações europeias bem sucedidas e a persistência de problemas em matéria de legislação europeia."

À luz dos problemas processuais de licenciamento, a realização dos objectivos políticos da canalização do mercado negro e na luta contra o vício do jogo foram relegados para segundo plano. A Comissão Europeia tem previsto uma intensa avaliação da regulação alemã no quadro de uma inspeção do Tratado Interestadual de jogo em 2014. É esperado que o procedimento utilizado para emitir licenças seja objecto de avaliação.

Os consumidores alemães têm o direito de receber uma oferta regulada de forma eficiente que satisfaça a procura de entretenimento digital e assim evitar que que os consumidores necessitem de jogar online na Àsia, por exemplo. Para apoiar a definição de políticas claras, coerentes e colocar à disposição dos responsáveis políticos nacionais e de outras partes interessadas a sua experiência, a EGBA, muito em breve estabelecerá uma sucursal em Berlim para representar a indústria online.

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

 

Aposta X - Futebol e Apostas Online