1

Liga Espanhola 2013-2014: Real, Barça e os portugueses

31 julho, 2013


A nova época em Espanha, tal como acontecerá em Portugal (Porto e Benfica) vai ser uma questão a dois entre o Barcelona, campeão em título, e o Real Madrid. Não é uma novidade, apenas uma tendência que tem vindo a acentuar-se desde que, em 2004, o Valência quebrou a hegemonia dos rivais pela última vez. E nem o facto de blaugrana e merengues terem trocado de treinadores – Tata Martino substituiu Tito Vilanova que saiu por motivos de saúde; Carlo Ancelotti ocupou o lugar de José Mourinho – será suficiente para que a chamada “classe-média” possa aspirar a algo mais do que lutar pela Liga dos Campeões.

Aliás, a diferença de valores entre os dois colossos e os restantes clubes, quase todos em grandes dificuldades financeiras, terá aumentado ainda mais. Falcao, Soldado, Llorente, Negredo e Navas, entre outros, rumaram a outras paragens, enquanto Isco e Illarramendi reforçaram o Real Madrid.

No primeiro campeonato pós-Mourinho – que em três anos incendiou o futebol espanhol e mesmo tendo sido capaz de quebrar a hegemonia do Barcelona saiu do Real Madrid sem a glória que ambicionava –, as grandes figuras da prova continuam a ser Messi e Cristiano Ronaldo, que têm vindo a travar um duelo à parte para se afirmarem como melhores jogadores e goleadores da actualidade. São eles os líderes indiscutíveis de plantéis luxuosos e os seus treinadores confiam que sejam capazes de levar as duas equipas ao título.

Contudo, Neymar, contratado pelo Barcelona, promete ser outra grande atração do campeonato e sendo certo que este é um ano de adaptação ao futebol europeu, o brasileiro vai procurar justificar porque é apontado como candidato a ser eleito no futuro o melhor do mundo.

Ao contrário de outros anos, o Real Madrid ainda não contratou nenhum galáctico – Bale ainda é uma hipótese –, mas Carlo Ancelotti viu o plantel reforçado com vários jogadores, entre os quais se destaca o talentoso Isco. Resta saber se isso será suficiente para o treinador italiano contrariar uma equipa que, mesmo apresentando menos soluções no plantel, tem um modelo de jogo consolidado.

Nas duas últimas temporadas o campeão espanhol somou 100 pontos, recorde estabelecido por Mourinho e igualado por Vilanova. Desde que o Valência foi campeão em 2004, os últimos nove títulos foram divididos por Real (3) e Barça (6).

O campeonato espanhol regista um saldo positivo se contabilizarmos as contratações de jogadores de outras ligas e as vendas para o estrangeiro, onde se destaca a de Falcao para o Mónaco a troco de 60 milhões de euros. Contudo, a eventual chegada de um galáctico para o Real Madrid poderá equilibrar as contas.

Para já, a maior contratação foi protagonizada por Neymar, que reforçou o Barcelona. Contudo, com Florentino Pérez na presidência dos merengues, esse campeonato tem sido sempre ganho pelo Real Madrid. E caso venha a consumar-se o interesse em Bale, do Tottenham, é até possível que os blancos superem o valor pago por Cristiano Ronaldo, em 2009, que até hoje é um recorde mundial.

A liga espanhola perdeu vários portugueses– como Ricardo Carvalho, Nunes, Bruno Gama e Zé Castro, entre outros –, mas o contingente não ficou muito reduzido. Com as chegadas de Carriço, Diogo Figueiras (Sevilha), Flávio Ferreira (Málaga), Hélder Barbosa (Almeria) e Sérgio Pinto (Levante) e o regresso de Nélson (Almeria), a armada lusa é constituída por 18 jogadores. Dos que já se encontravam em Espanha, Hélder Postiga e Pizzi mudaram de emblema: o primeiro trocou o Saragoça pelo Valência e o segundo o Corunha pelo Espanhol via cedência por parte do Benfica.

Colocados em oito emblemas diferentes, os portugueses vão também enfrentar desafios e metas muito diferentes. A correr pelo título, objectivamente, estará o trio merengue formado por Cristiano Ronaldo, Pepe e Fábio Coentrão, sendo que este último pode deixar o Real Madrid. Com a ambição de chegar aos lugares de acesso à Champions League, encontramos Tiago (Atlético de Madrid) que agora tem a companhia de David Villa, João Pereira, Ricardo Costa e Postiga (Valência), Beto, Carriço e Diogo Figueiras (Sevilha).

O Málaga é o clube que tem a maior representação portuguesa, com Flávio Ferreira a juntar-se esta época a Antunes, Duda e Eliseu. Mas, depois de ficar fora da Europa por castigo da UEFA, o emblema andaluz parte para a nova época com expectativas bem mais modestas. A Europa é o sonho do Espanhol, onde o veterano Simão terá agora a companhia de Pizzi. No Levante, Sérgio Pinto traz experiência a uma equipa que está na Liga Europa, enquanto Nélson quer ajudar o Almeria a segurar a manutenção.

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

Ler Mais
1

Liga Italiana 2013-2014: Quem trava a Juventus?

30 julho, 2013


Nova época, a mesma favorita. Bicampeã, a Juventus volta a partir como a grande candidata à conquista do scudetto da Serie A. Este ano, todavia, terá pela frente um sério concorrente: o renovado Nápoles.

O presidente Aurelio De Laurentis não teve outra alternativa que não vender Cavani, mas aproveitou os 63 milhões de euros provenientes dos cofres do Paris SG para rechear o plantel com nomes sonantes.

Começando por Pepe Reina para a baliza, passando por Raúl Albiol para a defesa e Callejón e Higuaín para o ataque napolitano, a revolução atingiu também o banco: para o comando técnico chegou Rafa Benítez, considerado pelo próprio presidente como “o melhor reforço da equipa” – afirmação facilmente sustentável atendendo ao seu palmarés, onde constam, entre vários outros títulos de monta, uma Liga dos Campeões e duas Ligas Europa – a última das quais conquistada na época agora finda, pelo Chelsea ao Benfica.

A campeã Juventus, todavia, também não hesitou na hora de dotar o seu plantel com mais soluções, tendo em conta não só a revalidação do título mas também a afirmação europeia, onde tem ficado aquém do esperado. O reforço mais sonante dá pelo nome de Carlos Tévez: aos 29 anos, o argentino ex-Manchester City vai estrear-se na Liga italiana e oferece a Antonio Conte garantias de experiência de Champions League. Também para o ataque chegou outro nome de peso: Llorente, campeão europeu e mundial pela Espanha.

Num patamar mais abaixo, além dos rivais de Milão surgem a Fiorentina, que contratou Mario Gomez ao Bayern de Munique; a Roma, reforçada com o médio holandês Strootman e o avançado marfinense Gervinho; e a Lázio que apostou na melhoria do meio-campo, com as chegadas de Biglia (ex-Anderlecht) e Felipe Anderson (ex-Santos).

Rivais de Milão continuam em crise sem fim à vista. Candidatos crónicos, os dois rivais de Milão voltam a partir um passo atrás dos principais favoritos. O AC Milan decidiu dar nova oportunidade ao técnico Massimiliano Allegri, mas recusou abrir os cordões à bolsa – a contratação mais “sonante” foi o médio Poli, ex-Sampdória. Já o Inter de Milão, nono classificado em 2012/2013, “reforçou-se” bem mas no comando técnico, assegurando os serviços de Walter Mazzarri, ex-Nápoles. O plantel, todavia, não dará para muito mais do que lutar por um lugar europeu.

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

Ler Mais
1

Regresso da Liga Inglesa 2013-204 com Mourinho e AVB

29 julho, 2013


A Premier League 2013/2014, promete mais ainda o olhar atento dos portugueses sobre dois dos mais conceituados treinadores nacionais. A Inglaterra anda animada pelo regresso do Special One ao Chelsea, o que irá permitir o primeiro embate contra André Villas-Boas, um dos seus antigos adjuntos, que continua à frente do Tottenham. No campo das transferências, o Tottenham já levou uma valente bicada do Chelsea ao perder a contratação do brasileiro Willian do Anzhi Makhachkala quando este inclusive já tinha feito testes médicos em White Hart Lane.

O regresso do campeonato inglês marca o regresso de José Mourinho à Premier League e aos blues. Um regresso, diga-se, muito aguardado do Special One. Mas se José Mourinho, por si só, é motivo de interesse em qualquer liga e não deixa ninguém indiferente, este ano há ainda o aliciante extra de reecontrar André Villas-Boas. O treinador do Tottenham trabalhou com o compatriota no FC Porto, Chelsea e Inter, mas desde que iniciou carreira a solo ainda não enfrentou um dos seus mestres. Em Portugal, tal como Mourinho, Villas-Boas ganhou o campeonato, Taça a e Liga Europa na mesma época no Porto.

Contudo, sendo certo que os dérbis londrinos entre as duas equipas treinadas pelos portugueses prometem muito sal e pimenta, a verdade é que Mourinho e Villas-Boas partem para a época com expectativas diferentes. No Chelsea, pede-se a José Mourinho a vitória no campeonato, prova que o português já ganhou em 2004/2005 e 2005/2006. No Tottenham, não obstante a chegada de vários reforços, a ambição é um pouco mais modesta e a meta é a qualificação para a Champions League.

Criada na época 1992/1993 para lançar o futebol inglês rumo à modernidade, a Premier League teve em Alex Ferguson a sua figura de proa durante os últimos 21 anos. Vencedor de 13 títulos durante esse período de tempo, o ex-técnico do Manchester United decidiu retirar-se no final da época passada e a sua saída apimentou ainda mais uma temporada que já se esperava escaldante devido ao regresso de Mourinho ao Chelsea. Contratado para o lugar do veterano técnico, o também escocês David Moyes parece estar com dificuldades para colocar o Manchester United nos níveis de outrora e as exibições menos conseguidas na pré-época galvanizaram um restrito lote de candidatos ao título liderado por Chelsea e Manchester City.

Munido da base que venceu o Mundial de Clubes, a Liga Europa e que ficou em terceiro na Premier League, o Chelsea do agora “Happy One” ainda recebeu Willian, Schurrle, Van Ginkel, Lukaku e De Bruyne (os dois últimos regressaram de empréstimo) para tomar de assalto um troféu que escapa aos blues desde 2009/2010. Já o Manchester City gastou 111 milhões e contratou Manuel Pellegrini para impor um estilo mais ofensivo e atraente que permita recuperar o título de campeão perdido para o rival de Manchester. A aparente fragilidade do United também abriu espaço de manobra ao Arsenal que, porém, ainda não conseguiu seduzir nenhum reforço de peso (Suárez e Rooney são os desejados) que possa fazer a diferença para os mais diretos rivais na luta pelo título. Tottenham e Liverpool prometem lutar por um lugar na Champions, mas ainda não parecem capazes de lutar pelo título.

O milionário Manchester City manteve a política de investimento das últimas épocas. Em contraste com a timidez do rival Manchester United no mercado, os citizens abriram os cordões à bolsa e gastaram 111 milhões de euros na aquisição de quatro presentes de luxo para Manuel Pellegrini: Fernandinho, Jovetic, Negredo e Jesús Navas. Para além deste quarteto, o top das dez maiores transferências da Liga Inglesa também alberga dois jogadores que vão ser comandados por André Villas-Boas no Tottenham: Roberto Soldado e Paulinho. Mais comedido do que em anos anteriores, o Chelsea “só” tem na lista Schurrle, internacional alemão contratado ao Byer Leverkusen por 22 milhões de euros.

Principais transferências da Liga Inglesa 2013/2014

Fernandinho - Skakhtar Donetsk - Manchester City - 40 milhões de euros
Willian - Anzhi Makhachkala - Chelsea - 34,8 milhões de euros
Roberto Soldado - Valência - Tottenham - 30 milhões de euros
Jovetic - Fiorentina - Manchester City - 26 milhões de euros
Negredo - Sevilha - Manchester City - 25 milhões de euros
Schurrle - Bayer Leverkusen - Chelsea - 22 milhões de euros
Navas - Sevilha - Manchester City - 20 milhões de euros
Paulinho - Corinthians - Tottenham - 19,8 milhões de euros
Carroll - Liverpool - West Ham - 17,5 milhões de euros
Wanyama - Celtic - Southampton - 14,5 milhões de euros
Wilfried Bony - Vitesse - Swansea - 14 milhões de euros

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial




Ler Mais
2

Juventus liderou tabela de receitas da UEFA 2012-2013

27 julho, 2013


Nas receitas dos grandes da Europa, a Juventus superou em mais de 10 milhões de euros a verba arrecadada pelo Bayern de Munique, vencedor da Champions League.

A UEFA publicou as contas oficiais relativas à distribuição das receitas da Champions e da Europa League. O bolo total da prova principal atingiu 904.6 milhões de euros e como de costume foi repartido por três parcelas: participação na fase de grupos (275,2 milhões de euros), performance desportiva (219,8 milhões de euros) e “marketpool” televisivo (409,6 milhões de euros).

Apesar de não ter passado dos quartos de final da Champions League, a Juventus foi o clube com receitas mais elevadas, com um total recorde de 65,3 milhões de euros – muito superior ao dos finalistas Bayern (55 milhões de euros) e Borússia Dortmund (54,2 milhões de euros). O Top 10 dos clubes que receberam mais dinheiro da UEFA inclui outra equipa italiana (AC Milan), três espanholas (Real Madrid, Barcelona, Málaga), uma francesa (Paris SG) e duas inglesas (Chelsea, Manchester United). O clube de Londres, no entanto, só entra neste ranking milionário porque amealhou quase 11 milhões de euros com a passagem (vitoriosa) pela Liga Europa. Na época anterior (2011/2012), recorde-se, o Chelsea arrecadara o maior “prizemoney” da UEFA: 59,9 milhões de euros.


O enorme peso da parcela do “market-pool” – distribuída pelos 32 clubes da Liga dos Campeões de acordo com o valor proporcional dos respetivos mercados televisivos – continua a provocar algumas incongruências na distribuição dos dinheiros europeus. Juventus e AC Milan beneficiaram do facto de terem sido as duas únicas equipas italianas na fase de grupos e dividiram entre si uma fatia de mais de 81 milhões de euros a título de “marketpool”.

Clubes com fraca prestação desportiva – como o Manchester City (28,8 milhões de euros), o Lille (22 milhões de euros) ou o Nordsjaelland da Dinamarca (20,4 milhões de euros), por exemplo – receberam mais do que o FC Porto (19,8 milhões de euros), uma das equipas que alcançaram os oitavos de final da prova.

Apesar de ter participado na fase de grupos da Liga dos Campeões e de ter chegado à final da Liga Europa, o Benfica arrecadou 19.654.144 milhões de euros, menos dinheiro – precisamente 108 mil e 856 euros – do que o FC Porto. O Braga amealhou 11,2 milhões de euros – apenas Dínamo Zagreb (10,5 milhões de euros) e BATE Borisov (10,9 milhões de euros) somaram menos –, mas poderá contar com um cheque adicional de 2,1 milhões de euros por ter sido uma das 20 equipas participantes nos “play-offs”.

A UEFA distribuiu um bolo de apenas 209 milhões de euros pelos 56 clubes (48 na fase de grupos mais oito repescados da Champions League) que participaram na Europa League de 2012/2013, incluindo os portugueses Marítimo, Académica (ambos 2,2 milhões de euros) e Sporting (2 milhões de euros). No total, foi canalizado para os clubes portugueses quase 57 milhões de euros em prémios monetários.

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

1

Quantos jogadores federados de futebol existem em Portugal?

25 julho, 2013


Todos nós sabemos que a base de recrutamento da selecção portuguesa de futebol está cada vez mais limitada pela falta de aposta dos jogadores jovens a nível dos principais clubes nacionais. Neste momento, Paulo Bento, como qualquer português com conhecimentos sobre futebol conseguiria fazer uma convocatória, mas teria dificuldades em encontrar substitutos aos tradicionais 15 ou 16 nomes.

Mas afinal quantos jogadores federados existem em Portugal? Esta foi uma resposta que fui pesquisar ao site da F.P.F., e num universo de 10 milhões de cidadãos em território nacional apenas 153.647 atletas (amadores/profissionais/camadas jovens) praticaram a modalidade de futebol na temporada 2012/2013. As grandes cidades, como Lisboa, Porto, Braga, Aveiro e Leiria dominam a tabela de praticantes atingindo os cincos dígitos contrastando com o interior dos país onde casos como Bragança e Portalegre não atraem muito mais de dois mil praticantes para a modalidade de futebol. Quero salientar que nestes 153.647 praticantes, estão incluídos os jogadores de futebol de todos os escalões masculinos, femininos, como também o futsal.

Hoje embora tenhamos melhores condições estruturais para a prática do futebol ou de qualquer outra modalidade, a exemplo o elevado número de campos relvados ou sintéticos por distrito, sofremos com o problema da natalidade - número de nascimentos cada vez mais em decréscimo e com o elevado desinteresse ou absentismo da nossa população jovem.

Mais tarde, por volta dos 40 anos é vê-los a encher os ginásios. Particularmente conheci muitas pessoas (M/F) nos meus tempos de estudos que nas aulas de educação física fugiam ou arranjam sempre desculpas para não fazer as aulas, e hoje é vê-los a dar forte e feio em qualquer ginásio ou espaço público. Ok, mais vale tarde que nunca!

Associação de futebol distrital VS Número de praticantes federados

Angra do Heroísmo (Açores) - 2302 federados
Aveiro - 13352
Beja - 2464
Braga - 15166
Bragança - 1864
Castelo Branco - 2547
Coimbra - 6777
Évora - 3222
Algarve - 5806
Ilha da Madeira - 3184
Guarda - 2361
Horta (Açores) - 1427
Leiria - 10194
Lisboa - 24642
Ponta Delgada (Açores) - 3178
Portalegre - 2072
Porto - 23989
Santarém - 6798
Setúbal - 9201
Viana Castelo - 4627
Vila Real - 2873
Viseu - 5601

Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

2

Novas camisolas dos clubes espanhóis 2013-2014

23 julho, 2013

Para terminar por este ano o capítulo dos novos equipamentos de futebol dos principais campeonatos da europa, apresento os kits dos 20 clubes de Espanha que compõem a La Liga, com destaque para o Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid que dominam a competição no país vizinho.

Como disse anteriormente, podem recordar todas as camisolas lancadas esta época 2013/2014, tal como de anteriores anos através desta label/categoria do aposta x.

Novos equipamentos dos clubes da Liga Espanhola - La Liga 2013-2014

Novos equipamentos do FC Barcelona 2013/2014


Novos equipamentos do Real Madrid 2013/2014


Novos equipamentos do Atlético de Madrid 2013/2014


Novos equipamentos do Valência 2013/2014


Novos equipamentos do Sevilha 2013/2014


Novos equipamentos do Athletic de Bilbao 2013/2014


Novos equipamentos da Real Sociedad 2013/2014


Novos equipamentos do Espanyol 2013/2014


Novos equipamentos do Bétis 2013/2014


Novos equipamentos do Málaga 2013/2014


Novos equipamentos do Celta de Vigo 2013/2014


Novos equipamentos do Rayo Vallecano 2013/2014


Novos equipamentos do Levante 2013/2014


Novos equipamentos do Getafe 2013/2014


Novos equipamentos do Granada 2013/2014


Novos equipamentos do Valladolid 2013/2014


Novos equipamentos do Osasuna 2013/2014


Novos equipamentos do Elche 2013/2014


Novos equipamentos do Villarreal 2013/2014


Novos equipamentos do Almería 2013/2014


Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

2

Novas Camisolas dos clubes italianos 2013-2014

20 julho, 2013


Como têm reparado, estou a publicar a habitual crónica anual com as novas camisolas dos principais campeonatos de futebol europeus. Hoje é a vez da Série A Italiana, que apresenta alguns dos clubes mais famosos do velho continente, e que mais kits vendem pelo mundo fora. De realçar o bom gosto da AS Roma que mantém as suas linhas tradicionais bem simples, já num plano mais discutível os alternativos do Milan e Nápoles.

Novos equipamentos dos clubes da Liga Italiana - Serie A 2013-2014

Novos equipamentos da Juventus 2013/2014


Novos equipamentos do AC Milan 2013/2014


Novos equipamentos do Inter de Milão 2013/2014


Novos equipamentos do Nápoles 2013/2014


Novos equipamentos da AS Roma 2013/2014


Novos equipamentos da Fiorentina 2013/2014


Novos equipamentos da Lazio 2013/2014


Novos equipamentos da Udinese 2013/2014


Novos equipamentos do Catania 2013/2014


Novos equipamentos do Parma 2013/2014


Novos equipamentos do Chievo Verona 2013/2014


Novos equipamentos do Bolonha 2013/2014


Novos equipamentos da Sampdoria 2013/2014


Novos equipamentos da Atalanta 2013/2014


Novos equipamentos do Torino 2013/2014


Novos equipamentos do Génova 2013/2014


Novos equipamentos do Cagliari 2013/2014


Novos equipamentos do Sassuolo 2013/2014


Novos equipamentos do Hellas Verona 2013/2014


Novos equipamentos do Livorno 2013/2014


Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

1

Novos equipamentos dos clubes Premier League 2013-2014

17 julho, 2013

Os 20 clubes da Primeira Liga Inglesa de futebol já apresentaram as suas novas camisolas para a temporada 2013/2014 e o destaque vai para o gosto duvidoso dos alternativos do Liverpool que escapa ao tradicionalismo da maioria dos seus oponentes.

Eu fiz esta fotomontagem dos novos equipamentos com base nos jogos de pré-época, e aconselho a clicarem nas fotos para tamanho maior.

Novos equipamentos dos clubes da Liga Inglesa - Premier League 2013-2014

Novos equipamentos do Manchester United 2013/2014


Novos equipamentos do Manchester City 2013/2014


Novos equipamentos do Chelsea 2013/2014


Novos equipamentos do Arsenal 2013/2014


Novos equipamentos do Liverpool 2013/2014


Novos equipamentos do Tottenham Hotspur 2013/2014


Novos equipamentos do Newcastle United 2013/2014


Novos equipamentos do West Ham United 2013/2014


Novos equipamentos do Fulham 2013/2014


Novos equipamentos do Everton 2013/2014


Novos equipamentos do Aston Villa 2013/2014


Novos equipamentos do Swansea City 2013/2014


Novos equipamentos do Sunderland 2013/2014


Novos equipamentos do Hull City 2013/2014


Novos equipamentos do Norwich City 2013/2014


Novos equipamentos do Southampton 2013/2014


Novos equipamentos do Stoke City 2013/2014


Novos equipamentos do West Bromwich Albion 2013/2014


Novos equipamentos do Crystal Palace 2013/2014


Novos equipamentos do Cardiff City 2012/2013


Redes Sociais

Acompanhe o Aposta X no Twitter
Conheça a página do Aposta X no Facebook

Página Inicial

 

Aposta X - Futebol e Apostas Online