Taça da Liga é do Benfica (3-0 ao FC Porto)

22 março, 2010


Festa benfiquista pelo segundo ano consecutivo no estádio do Algarve. Depois de ter vencido o Sporting há 1 ano atrás, os encarnados golearam o FC Porto, por 3-0 e levaram a Taça Carlsberg 2009/2010 para a Luz. O Benfica é agora a equipa com mais triunfos na Taça da Liga (2) contra uma do Vitória de Setúbal.

Talvez se possa dizer que o desequilíbrio não foi tão grande quanto transparece no resultado. Talvez, porque o Porto se bateu à exaustão no finca-pé à maré vermelha. Mas indiscutível é isto: a final da Taça da Liga confirmou, o que já era convicção de quase toda a gente; o Benfica desta temporada, ressuscitadíssimo em capacidade técnico-táctica e em força mental, está a ser de mais, mesmo muito de mais, para quase toda a concorrência nacional. Terá o Sp. Braga a palavra já a seguir, mas, para o tetracampeão FC Porto, acabou a réstea de hipótese de algum taco-a-taco com o espectacular ritmo benfiquista. A Taça da Liga confirmou o campeonato.

Jorge Jesus deixou quatro titulares de fora, o que era mais do que expectável. O intenso duelo com o Marselha tinha sido há 72 horas, seguem-se o Braga e o Liverpool e, tão ou mais importante, tem à sua disposição segundas linhas que possuem igualmente selo de qualidade. Mas manteve inalterado o sector defensivo... Ao invés, Jesualdo limitou-se manter Nuno a titular na Taça da Liga, salientando-se o aguardado regresso de Fernando, após longa lesão. De fora, já se sabia, ficou o lesionado Varela.

Mais uma vez, graves incidentes marcaram a deslocação das claques ao Algarve. Confusão nas àreas de serviço de Palmela, Alcácer do Sal e depois no exterior do estádio Algarve mancharam um dia que deveria ser de festa.


Durante o jogo caíram no relvado cadeiras partidas, isqueiros e tochas que atrasaram o início do duelo. O jogo estava incendiado. Mas aos 10 minutos Ruben Amorim, num remate aparentemente inofensivo, abriu a contagem para os encarnados. No Algarve, terra do frango da Guia, Nuno oferecia um enorme à insaciável águia.

Os dragões reagiram bem, partiram em busca do empate, com Falcao e Belluschi a falharem o golo na cara com Quim. E aos 44’, Carlos Martins fixou a vantagem com que o Benfica chegou ao intervalo (2-0). Falta indiscutível de Raul Meireles e, na conversão de um livre directo, Carlos Martins enviou uma “bomba” (a mais de 30 metros) para o fundo das redes portistas. Desta feita, Nuno nada pôde fazer.


E já em período de descontos antes do intervalo, Bruno Alves, completamente descontrolado, tem uma entrada duríssima sobre Pablo Aimar. O maestro argentino protesta e o capitão portista agride-o. O árbitro Jorge de Sousa condescendeu e fez... mal, pois Bruno Alves continuou a invectivar Aimar no regresso aos balneários.

Na segunda parte, quando se esperava uma forte reacção do FC Porto, foi o Benfica que voltou a assumir o controlo do jogo e esteve mais perto do 3-0 do que os dragões do 2-1. As águias controlaram o meio-campo, com Ruben Amorim, Carlos Martins e Airton em grande plano. Jorge Jesus acertou em cheio nesta opção de rejuvenescer a equipa e dar descando aos muito massacrados Javi Garcia, Ramires, Saviola e Cardozo. E, lá atrás, o quarteto defensivo encarnado não dava chances a Falcao e companhia.


Com Belluschi incapaz de disfarçar a ausência de Varela e Rodriguez limitado e desinspirado, o Porto não tinha corredores laterais e precisava que Raul Meireles e Rúben Micael compensassem com diagonais e deslocações entre linhas. Mas o madeirense anda desaparecido do combate há mais de um mês... Resultado: o ataque viveu sempre apenas do desacompanhado Falcao.

Jesualdo Ferreira lançou Fucile e Valeri e tirou Miguel Lopes e Ruben Micael. Foi troca por troca, nada mudou nas hostes dos dragões. A cinco minutos do fim a claque dos Super Dragões começou a abandonar o Estádio Algarve. Rumo ao Norte. Já sem esperança. Pelo contrário, as águias continuaram a pairar sobre o relvado, ávidas de mais proezas. E lá veio o esperado 3-0. E pelo melhor marcador do Benfica, o paraguaio Oscar Cardozo, que entrara para render o jovem Kardec. A jogada começou em Saviola e acabou por ser Cardozo a empurrar a bola para a baliza defendida pelo infeliz Nuno Espírito Santo.


Festa brava nas bancadas, com os adeptos benfiquistas loucos de alegria pelo troféu conquistado. No banco, o director desportivo Rui Costa festejou ao lado do ex-colega de equipa Nuno Gomes. Braços bem erguidos ao alto. Coração da águia a palpitar.

Jorge Jesus venceu em toda a linha e arrecadou, ainda, o segundo troféu da sua carreira, depois de, ao serviço do Braga, ter ganho a Taça Intertoto no ano passado. Jesualdo Ferreira falhou, por seu turno, a possibilidade de ser o primeiro treinador a ganhar as quatro provas do calendário futebolístico nacional.

É preciso recuarmos até 2 de Maio de 1998 para encontrarmos vitória tão clara como esta do Benfica sobre o FC Porto. Nesse bem longínquo dia, com os dragões já campeões nacionais, Brian Deane, Poborsky e Tahar fizeram os golos do robusto triunfo da equipa da Luz.

Vídeo

Benfica 3-0 FC Porto

Ruben Amorim 10'


Carlos Martins 45'


Cardozo 92'


Entrega da Taça e festejos


Tudo sobre a Taça da Liga 2009/2010, neste Link.

HQSXTV3PN4JB

Fotos: AP

Página Inicial

2 comentários:

Rui Matos disse...

A vitória não tem qualquer contestação e espelha aquilo que são estas duas equipas na actual época. A superioridade do Benfica sobre o Porto ficou confirmada, se é que ainda restavam dúvidas.

ps. Vergonhosa atitude de alguns jogadores do FCP, em especial Bruno Alves

Parabéns por este blogue, não conhecia, mas está muito interessante.

Luna9999 disse...

Viva o maior clube do mundo - Benfica!!! Eu amo-vos!

Enviar um comentário

Home - Aposta X

 

Aposta X - Futebol e Apostas Online